BLOG

Mantenha-se informado com as últimas notícias da Stringhini

A tecnologia entre nós, um deus onipresente.

11 de outubro de 2019 | Por Varejo Inteligente | Eventos Monitoramento de mercado | Nenhum Comentário

Você já reparou como assuntos relacionados à tecnologia como transformação digital, inteligência artificial, big data, robôs ocupam e povoam atualmente as discussões e o imaginário das pessoas? Já percebeu como os anúncios são sempre fortes e impactantes? Ou vão revolucionar a nossa vida, ou acabar com parte dela ou fazê-la sumir do mapa.

Pare, pense, respire e veja. Quando você se deparar com situações como as descritas, reflita um pouco para não se enganar, não perder as oportunidades que se colocam e, principalmente, não sucumbir aos medos, receios e desesperanças que porventura possam se instalar.

A cada tempo, os desafios estão alinhados com a sociedade que os criou. As novas tecnologias sempre parecem levar ao fim o mundo existente. E levam para quem não entende a dinâmica, que não está aberto para o novo. Coisas simples de hoje foram fonte de grandes transformações no passado, mudanças tão drásticas quanto as que vivemos. Tudo isto nos leva a conclusão que não podemos nos comportar como se o fenômeno do impacto da tecnologia fosse algo novo, exclusivo do nosso tempo.

Esta série de reflexões foram motivadas pelo contato que tive com uma iniciativa da ACATS (Associação Catarinense de Supermercados), que assinou um termo de colaboração com a ACATE (Associação Catarinense de Tecnologia) para, juntas, realizarem, a pesquisa Cenário Tecnológico do Setor Supermercadista de Santa Catarina. Parece-me uma iniciativa diferente do lugar comum do mercado. Existem diversos estudos que falam dos impactos da tecnologia sobre o comportamento dos consumidores no varejo, mas este estudo é o único que busca entender o impacto no cotidiano das empresas.

Vejo uma busca frenética pelo próximo unicórnio, uma centena de pitch days, uma miríade de eventos sobre a mais novas startups do mercado e muito mais. A maioria, ao meu ver, pouco ou nada comprometidas com um desenvolvimento sistêmico e integrado. Por isto a admiração com a proposta da ACATS.

O estudo empregará a metodologia qualitativa. Será possível mapear visões e sentimentos dos empresários e executivos do setor. Com isto, tem-se condições de entender as barreiras para o engajamento nos processos de transformação tecnológica e as percepções frente a oferta de recursos na área. Será possível estabelecer referências concretas e objetivas de como conduzir o processo de aceleração tecnológica da região. A pesquisa permitirá a descrição dos fenômenos que devem ser tratados e enfrentados diretamente. Agora, resta saber em que mundo você está. Você mantém com a tecnologia uma relação objetiva e produtiva, procurando entender como explorar toda a potencialidade que este novo mundo pode proporcionar, ou está simplesmente alarmado?

Serão investigadas todas as regiões do Estado de Santa Catarina, contemplando todas a mesorregiões do estado, em operações de pequeno, médio e grande porte. O estudo procurará, de forma geral:
Identificar necessidades e expectativas dos varejistas frente aos desafios de crescimento;
Compreender preocupações e medos dos varejistas em relação ao futuro do seu negócio;
Descrever a relação do supermercadista com as novas tecnologias;
Descrever as medidas adotadas para incorporar novas tecnologias e;
Descrever a relação do supermercadista com informações e dados.

O público investigado será de formadores de opinião do setor e de executivos de supermercados. Em cada empresa investigada serão contatados dois tipos de profissionais distintos:

Líder Institucional: principal executivo da empresa responsável por conduzir e promover o direcionamento estratégico da companhia. Aqui será entrevistado o profissional que imprime a identidade ao negócio ou o que se faz conhecer no mercado em geral. É a figura pública da empresa.

Líder das Operações: responsável pelas operações de loja. É o profissional que responde pela garantia dos padrões de execução de loja, que tem em suas mãos a responsabilidade pela atividade fim da empresa. Detém conhecimento de como são desenvolvidas e realizadas todas as atividades operacionais do negócio.

WhatsApp Image 2019-10-09 at 11.34.33

 

*Publicado na Revista Involves 2019/ Ed.2